23 de jan de 2009

25 anos de revolução!

No dia 24 de janeiro, há 25 anos atrás, a Apple lançava o Macintosh que introduziu o conceito de computador pessoal. Primeiro equipamento com interface gráfica e mouse que seria imitado mais tarde pela Microsoft. Tais conceitos são usados até hoje pela indústria da informática. Brindemos, parabéns Macintosh.

22 de jan de 2009

iWork bixado há de infectar 20 mil computadores

Ráaa essa é pros espertinhos de plantão:

A Apple lançou a atualização do seu excelente pacote de escritório iWork, que na minha modesta opinião chuta a bunda do Ms Office em termos de profissionalismo e qualidade, mal ele saiu do forno e já apareceu em um monte de redes torrent.

Até aí legal, afinal qual programa manero que não acaba aparecendo nesses lugares? O problema é que as cópias piratas estão infectadas com um cavalo de tróia, o download oferecido é um verdadeiro presente de grego, chamado OSX.Trojan.iServices.A. Aos que estavam torcendo frenéticamente pela desgraça dos pobres mac users vibrem de alegria, o tal trojan é realmente perigoso desta vez, ao contrário dos anteriores que sequer fizeram cócegas no mac.

O bixo supra citado se instala, se coloca na lista de aplicativos a serem aberto durante o início do sistema e, pra piorar tudo, com privilégios de administrador, nosso amigo root no mundo Unix, depois de devidamente instalado ele começa a se comunicar com servidores remotos informando a localização da máquina e, claro, abrindo portas que permitirão acesso à máquina infectada.

Mas esperem que ainda tem mais: como o bixinho tem privilégios de administrador, ele não apenas pode instalar componentes adicionais "sinistros" (no pior sentido da palavra) como pode também alterar aplicativos já instalados na sua pobre vítima, além do que tais privilégios podem torna-lo extremamente difícil de remover.


A Intego, empresa especialista em segurança, calcula que no mínimo 20 mil pessoas poderão ser infectadas com a brincadeira citada aí em cima.
Bom, não percam mais tempo lendo isso, corram pro pc de vocês e continuem baixando seus softwares piratas.

13 de jan de 2009

Desativando o cache de SWF do navegador

Precisei dessa dica outro dia, procurei feito doido e achei algumas coisas, esta aqui foi a que melhor resolveu meu problema, então estou traduzindo-a:
Durante o desenvolvimento Flash provavelmente você perceberá que ao testar seu SWF no navegador a versão antiga permanecerá mesmo você tendo feito alterações no arquivo e acabado de reenvia-lo ao servidor. Isso acontece porque o nosso querido navegador (seja ele qual for) não percebe que o arquivo foi alterado.

Desativar o cache do seu navegador só irá resolver o problema pra você, mas e o resto dos internautas? Com certeza eles não irão querer fazer isso, por mais que você peça. Felizmente há maneiras de impedir que o navegador guarde o arquivo no cache, então vejamos algumas:

1- Crie um arquivo PHP pra chamar o SWF separado do resto do site:

<?php
header('Content-type: application/x-shockwave-flash');
header('Expires: Thu, 01 Jan 1970 00:00:00 GMT, -1');
header('Cache-Control: no-cache, no-store, must-revalidate');
header('Pragma: no-cache');
echo file_get_contents('arquivo.swf');
?>

Este PHP irá servir como um mediador entre as requisições do navegador e o servidor. O navegador continuará pensando que o arquivo é uma requisição de arquivo SWF, mas o servidor dirá ao navegador que ele não poderá guardar o arquivo no cache, legal né?

2- O que você tem que fazer agora é chamar o PHP ao invés do SWF na sua página, que pode até ser um html comum:

<object width="640" height="480" align="middle">
<param name="movie" value="seuarquivo.php" />
<param name="bgcolor" value="#000000" />
<embed src="seuarquivo.php" width="640" height="480" scale="noscale" bgcolor="#000000"
type="application/x-shockwave-flash" pluginspage="http://www.macromedia.com/go/getflashplayer" />
</object>

Pronto! Agora você tem um arquivo SWF que se recarrega a cada nova requisição! Agora o mesmo problema tende a acontecer dentro do Flash quando você usa URLRequest, então você imagina que o AC abaixo possa resolver a sua vida:

var loader:URLLoader = new URLLoader();
var request:URLRequest = new URLRequest(whatever url);
request.requestHeaders.push(new URLRequestHeader("pragma", "no-cache"));
request.requestHeaders.push(new URLRequestHeader("Expires", "Thu, 01 Jan 1970 00:00:00 GMT, -1"));
request.requestHeaders.push(new URLRequestHeader("Cache-Control", "no-cache, no-store, must-revalidate"));
loader.load(request);

Pro seu azar isso não funciona! Por alguma razão obscura, o Flash não respeita qualquer regra de cache. A saída é apelar pro famoso "jeitinho brasileiro" fazendo o flash "pensar" que cada url é nova a cada requisição:

var request:URLRequest = new URLRequest("whateverurl?nocache=" + new Date().getTime());

Infelizmente (de novo?!) este método também tem uma disvantagem: se você estiver usando URLVariables, vai dar conflito! A solução é simplesmente usar a URLVariable com o macete anti-cache:

var request:URLRequest = new URLRequest(whateverurl);
var variables:URLVariables = new URLVariables();
variables.nocache = new Date().getTime();
// configure outras URLVariables aqui
request.data = variables;

Aleluia! Finalmente o cache do flash tá desligado! Espero que esta dica seja útil a alguém. Lemre-se: A primeira dica é suficiente pra maioria que tenha feito um SWF simples, mas quem usa URLRequest e URLVariables vai precisar do pacote completo.

Pra quem quiser ver o artigo original basta clicar aqui.

9 de jan de 2009

Atendimento online via MSN no seu site!

Ferramenta disponibilizada pela própria Microsoft, Pode ser usada para suporte online em sites.
Nele você vê o status do MSN em tempo real, e clicando pode enviar mensagem diretamente no MSN.

Para utilizar o serviço basta seguir os seguintes procedimentos:

  1. Acesse o site http://settings.messenger.live.com/applications/WebSettings.aspx
  2. Efetue o login com seu Passport.
  3. Marque o checkbox “Permitir que as pessoas vejam o seu status do Messenger em sites e enviem mensagens para você” (caso contrário seu status ficará sempre Offline).
  4. Clique em “Salvar”.
  5. Clique na guia “Criar Html” e escolha suas preferências visuais e funcionais.
  6. Copie o HTML que será gerado e cole na página que quiser.

Pronto. Simples e Facil!

8 de jan de 2009

Poupando 1 milhão de libras com o Windows

Por falar em Microsoft, lá veio ela (de novo!) com mais um daqueles estudos onde se "conclui" que é melhor e mais barato para uma empresa usar Windows. Segundo o LinuxMagazine, a revista australiana iTWire analisou o estudo e fez descobertas no mínimo interessantes...

O que parece à primeira vista (epa, vista?) ser uma história de sucesso, na realidade não é — nem de longe: em primeiro lugar, não há economia nenhuma. O que há são apenas estimativas da Microsoft, segundo as quais a empresa britânica Speedy Hire deverá economizar 200.000 libras por ano devido à utilização do Windows.

A análise do estudo, disponível em artigo no site australiano iTWire.com, faz um raio-X da “economia” sugerida pela empresa de Bill Gates. Elas começam pelo hardware, já que no projeto foram utilizados terminais leves para Windows — que seriam inexplicavelmente mais baratos do que aqueles equipados com Linux. Que há alternativas para os modelos V90 da empresa Wyse, equipados com Windows, como os V50, pré-carregados com Linux — além de bem mais baratos —, o estudo não menciona nem de longe. Nesse estilo, o artigo vai revelando de onde vieram as “reduções de custo” obtidas pela Microsoft, que vão se transformando em vapor à medida que prosseguimos na leitura. Estamos curiosos para saber o que sobra da economia de 1 milhão de libras após os 5 anos...

Quando será que a Microsoft vai largar mão desse mal costume?


Leia a análise na íntegra aqui

SongSmith: a nova cria da Microsoft

songSmith

Saiu hoje dos laboratórios da Microsoft um novo software chamado SongSmith, que irá dar aos músicos casuais e profissionais um novo modo de agilizar a criação musical. Por U$29,90 você terá este Studio musical no seu pc.

Basicamente, o software processa o pico e o tom do que entra pelo microfone e então deixa o usuário ouvir como ficaria se ele colocasse um piano, bateria e teclado. A Microsoft espera abrir um novo caminho para a inspiração de compositores de plantão, que poderão usar o software para criar músicas de caraokê e se divertir com amigos e parentes.

O SongSmith permite que o usuário altere o som completamente usando vários modos de ajuste, níveis de volume, tempo e quais instrumentos serão usados. Os usuários poderão tabém comprar novos instrumentos virtuais da Garritan, o que poderá mudar drasticamente o som produzido. Cada instrumento comprado virá num instalador especial que será automaticamente adicionado ao SongSmith. Dan Morris dos Labs Microsoft disse que este poderá eventualmente se tornar um bom mercado para os profissionais, que poderão fornecer trilhas, batidas e instrumentos virtuais, apesar do software usar um formato exclusivo e fechado.

songSmith

SongSmith poderá ser adquirido na loja online da Microsoft. Morris disse ainda que não há planos para integrar o software em alguma suite maior voltada à produção musical. A Apple oferece já há algum tempo um software similar chamado GarageBand que já foi testado por mim há alguns anos e até hoje o uso eventualmente para fazer alguns efeitos de áudio básicos.

O ponto positivo do SongSmith é a capacidade de prover acompanhamento total de forma automática quese que em tempo real. Morris disse que o obstáculo maior é justamente a programação que faz a mágica, enchergando a melodia do usuário e fazendo a compensações de acordo. Ele disse também que uma versão on-line será possível em breve.

Mais um ponto pra Microsoft por trazer à luz algo realmente interessante! StoreMicrosoft